terça-feira, abril 01, 2008

Nos quintais dos chacais,

A triste melancolia dos iguais,

A noite das grandes fogueiras

No surdo duelo dos punhais.

Não quero o sonho dos normais,

Nem a farta mesa dos comensais.

Prefiro a doce senda da loucura viva dos imortais.

Para Vânia, querida amiga desigual.

Um comentário:

Vânia disse...

Amigo! generosidade e inspiração juntas?? a poesia decifrada.
Muitas vezes achamos que o amigo mais próximo fisicamente nos conhece, ou quem sabe um irmão, um parente. Mas de repente, quem menos esperamos, lá de longe, nos dá um presente e nos descreve, nos pressente, tão intensamente!!!!é demais, demais.Sem palavras.grata